Grupo dedicado à protecção e libertação animal.

domingo, maio 01, 2005

Ciência retrógrada

A ciência fez a opinião pública aceitar sem grandes reservas a experimentação em animais com o pretexto de que é realmente necessária e indispensável para a evolução da medicina, da genética e mesmo da biologia.

Por incrível que possa parecer ao cidadão comum, a tortura a que são sujeitos, todos os anos, milhões de animais para estes fins, é perfeitamente evitável como comprovam centenas de investigadores que estão na vanguarda da ciência e que fazem questão de procurar desmentir as práticas incorrectas, imorais e cruéis que as indústrias da farmacêutica, cosmética e medicina se esforçam por ignorar.

Muitos cientistas conceituados desmentem veemente a eficácia da experimentação animal em qualquer das sua modalidades pois como deveria ser óbvio para qualquer indivíduo ligado à ciência, que a anatomia e funcionamento do corpo humano e dos restantes animais, sofrem de diferenças abismais.

Como tentativa de tirar partido deste facto, as tabaqueiras efectuam centenas de testes em cães, galinhas e coelhos forçando-os a inalar enormes quantidades de fumo em forma concentrada apenas para concluírem sempre, que o tabaco não provoca cancro. Esta conclusão é correcta pois o tabaco e os químicos contidos nos cigarros não provocam a ocorrência de cancro nestes animais mas causa sim, nos humanos. Este exemplo é um dos mais flagrantes das falhas da experimentação animal mas existem muitos mais.

A estricnina, um poderoso e mortal veneno para o ser humano é inofensivo para galinhas, macacos e porquinhos-da-índia. Uma dose de Belladona, uma planta venenosa, que seria mortal para humanos, é perfeitamente inofensiva para coelhos e cabras. Enquanto ovelhas conseguem consumir quantidades elevadas de arsénio, um humano morreria ao ingerir pequenas quantidades.
Mesmo tendo perfeita consciência da ineficácia dos testes de compostos químicos em animais, as farmacêuticas insistem em lançar os seus produtos no mercado muitas vezes com consequências desastrosas causando a morte a milhares de pessoas e destruindo a sua qualidade de vida já para não falar dos milhares de animais sujeitos às maiores atrocidades nos seus laboratórios, tudo isto em vão.

A procura pela cura para certas doenças humanas, nomeadamente o cancro e a SIDA, leva a que cientistas mal-formados nas suas disciplinas e em ética, façam vivissecção em milhares de animais cujas condições clínicas foram infligidas previamente recorrendo a métodos bárbaros, para que justifiquem os milhões de dólares que os governos dispensam anualmente à pesquisa médica.

Cientistas conscientes da ineficácia dos métodos enraizados na comunidade médica sabem que nenhuma doença pode ser estudada em animais cuja anatomia e metabolismo diferem totalmente das do Ser Humano e muito menos infligida artificialmente sem qualquer consideração por factores genéticos, stress, alimentação e ambiente que provocam as respectivas condições clínicas em humanos. A recriação de doenças em animais dentro de laboratórios não só é moralmente inaceitável, como é também ineficaz.

Afirmar que a experimentação em animais é necessária ao progresso, é uma falsidade. Os indivíduos que promovem este tipo de metodologias usam-nas porque delas retiram benefícios monetários ou porque são simplesmente pessoas com uma fraca formação académica e completamente desprovidos de qualquer moral ou ética.
Afirmamos isto não como uma forma de insultar mas sim de demonstrar que a filosofia da ciência é todos os dias desrespeitada em detrimento de uma procura desregrada por resultados: se quisermos construir uma parede eficazmente, seguindo passos lógicos que nos levem ao sucesso imediato, ponderamos todas as facetas da construção. Na ciência médica, porém, tentam-se construir paredes por tentativa e erro simplesmente porque os animais não têm qualquer importância na busca inconsciente da qual são vítimas.

Em muitas faculdades, animais são também usados desta forma com o intuito de promover a formação do futuro investigador científico. Enraizar estas práticas no ensino assegura a perpetuação de uma ciência pobre e imoral. Na era da informática e da realidade virtual, continua-se a dar primazia aos custos e vivissecam-se animais para que os alunos pratiquem as suas habilidades com o bisturi. Enquanto milhares de cientistas já vivissecaram e documentaram extensivamente todos os aspectos da orgânica dos animais humanos e não-humanos, indivíduos de fraca inteligência teimam em reinventar a roda à custa dos que não têm direitos nem vontades e que são torturados impunemente. Os alunos de hoje, serão os cientistas de amanhã e a prática perdurará até que a Lei contemple os que a merecem.

A competitividade entre as empresas de químicos, fármacos e materiais biomédicos, agrava a situação relegando para as jaulas animais que não merecem sobre qualquer circunstância ser torturados e assassinados em detrimento de um suposto bem-estar humano que nunca é alcançado simplesmente porque a experimentação animal é um entrave à evolução do homem em termos de biologia, medicina e ética e nunca um meio de catapultar a humanidade para uma era de conhecimento profundo sobre a vida.

A experimentação animal é feita com o único proveito de fechar os olhos à opinião pública que, ignorando os factos, vai acreditando e aceitando a imposição de fármacos e cosméticos com base nos testes em animais. Por detrás desta despreocupação generalizada, estão milhares de milhões de dólares que chegam aos bolsos dos empresários e cientistas sem escrúpulos que para eles trabalham e também milhares de milhões de animais que sucumbem ao egoísmo, à ganância e à hipocrisia humana.

Para terminar, é preciso deixar bem claro que, ainda que os benefícios destas práticas alguma vez fossem reais, tais métodos continuariam a ser completamente imorais. Entendemos que se o ser humano pretende colmatar as suas fragilidades genéticas e imunológicas, que o faça à sua própria custa. A Lei e a ética falsa da Humanidade permite que outras espécies sejam utilizadas para todos os fins mas não permite estranhamente que humanos sejam usados ainda que indiscutivelmente, a sua utilização fosse eficaz na erradicação das suas doenças.

Informe-se:
http://www.sumeria.net/health/prism.html

3 comentários:

Anonymous Martha Maganha disse...

Amigos

Senti imensa honra em ser convidada a visitar essa página e desde já afirmo que já estão entre os meus favoritos, e que também adorarei estar entre os seus!

Em relação à experimentação animal só posso dizer que não aceito e nunca aceitarei.

Os animais não são nossos e não podemos subjugá-los!

Matar ou mutilar um animal, é crime; matar ou mutilar vários é ciência?

Juntos vamos vencer essa batalha e devolver a dignidade aos nossos irmãos não racionais.

LIBERTAÇÃO ANIMAL JÁ!

Parabéns pelo conteúdo da página, e obrigada pelo convite.

Martha Maganha

11:40 da tarde

 
Blogger Ana disse...

não me conformo com tamanha insencibilidade e crueldade.
como pode seres humanos fazer tal coisa que matam,multilam ou coisa parecida com animais?
me diga o certo, se fosse com humanos,pessoas, duvido que isso jáh não teria virado algo sério, que fosse lei etc.
Cláro eu sei que existe leis já que proibim tal fato, mas me diga sim, se alguem obdece?
não são todas as empresas mas a grande maioria.
Na real, tenho apenas 15 anos e não me conformo com tudo isso.
é um absurdo.
queria ser presidente, papa ou sei-la para poder fazer algo com isso.
onde isso vai parar.
gostaria de fazer algo para ajuda-los nesse combate contra testes em animais.

Obrigada

3:06 da manhã

 
Blogger jecas2 disse...

Estamos em um mundo, no qual podemos ver á tantas barbaridades.
A vida está sendo desvalorizada, como se fosse algo que se tivessemos muitas!
Vida é uma só, e temos que vive-la do modo mais especial e singela, pois não sabemos oque nos espera depois dela!

O homem, não satisfeito com a contagem regressiva que está causando para o planeta Terra, está destruindo de tudo, aos poucos! E claro, os animais não poderiam ficar de fora, pois infelizmente fazem parte desse planeta podre!

A tortura aos animais, é crime!
Existem ongs por vários lugares, cidades, para amenizar a taxa de criminalidade contra animais indefezos, o problema, é que estamos em um país que se, nem a autoridade máxima contra os homens que causam êncomo á sociedade (bandidos, criminosos, criminosos que cometem crimes barbaros, como estamos vivênciando á tempos)conseguem o seu objetivo que é a penalidade desses individuos, como algumas leis contra apenas "animais" irá funcionar ?!

Devemos parar para pensar, e ver, quem são realmente os animas irracionais, se são esses que são torturados, ou os que torturam!

Eu amo á frase: A vingança, veêm á tona, quando menos esperarmos!

E isso, um dia acaba! Eu tenho esperanças!
Enquanto isso, vamos ajudar no que podemos, com denuncias e no que puder!
Ajude, pois só nós, podemos fazer algo por eles! (:

8:08 da tarde

 

Enviar um comentário

<< Ínicio

 
free web counter