Grupo dedicado à protecção e libertação animal.

quinta-feira, março 31, 2005

Tráfico "legal" de animais

Em Portugal, as lojas de animais de estimação multiplicam-se a olhos vistos. Este negócio que move milhões de euros todos os anos é alimentado pela ignorância generalizada do publico que compra cães, gatos, répteis, peixes, aves exóticas e pequenos roedores desconhecendo ou não se importando com a realidade da vida desses animais. Esta atitude irreflectida e irresponsável encoraja a manutenção destas lojas e a abertura de muitas outras vitimando cada vez mais animais.

Qualquer pessoa sensata que perca uns segundos a olhar para um cão ou um gato preso dentro de uma jaula numa loja num qualquer centro comercial é capaz de entender que aquela criatura está deprimida, que não é feliz. A infância de cães, gatos, chinchilas, esquilos, etc., é passada dentro de lojas abafadas nunca aprendendo a brincar e não se desenvolvendo portanto, correctamente.

A maioria das crias provém de autênticos viveiros onde são criadas em grande número sem condições de higiene, sem cuidados veterinários, separados dos progenitores cedo demais e depois sujeitas a viagens de milhares de quilómetros dentro de camiões até à loja onde irão passar o resto da sua infância – se a sorte continuar a não lhes sorrir – confinados a um pequeno espaço onde muitas vezes permanecem sozinhos, completamente abandonados numa montra. Para piorar, os donos das lojas de animais e os funcionários maltratam os seus “produtos” sem nunca se lembrarem de que estão a lidar com seres vivos que sentem e que sofrem.

Quando são vendidos, os animais são muitas vezes abandonados pouco depois pois não se desenvolveram correctamente tendo-se tornado animais apáticos e mortiços. Como ninguém quer um animal assim, os novos donos desfazem-se deles despejando-os num beco ou à porta de associações de defesa de animais, na melhor das hipóteses.

Por essa razão, a indústria de venda de animais contribui fortemente – ainda que indirectamente – para o crescimento da população animal vadia obrigando as autoridades a agir da maneira mais fácil e menos dispendiosa: matando.

Como se não bastasse todo o sofrimento infligido aos animais que estão envolvidos no processo, as lojas de animais promovem a insensibilidade das pessoas, passando a mensagem de que é correcto tratar animais como mercadoria, como objectos de decoração como é o caso dos peixes de aquário.


O que fazer:

Evite comprar animais em lojas. Existem inúmeras associações locais cujos albergues estão sobrelotados de animais com necessidades. Como exemplo, a União Zoófila em Lisboa alberga cerca de 800 cães e 200 gatos e passa por inúmeras dificuldades para cuidar de todos esses animais abandonados e vítimas de maus-tratos que ninguém quer.

Mas então e os animais nas lojas? É de facto um dilema. Se por um lado esses animais são vítimas da ganância e crueldade humana, pagar por eles é compactuar e contribuir para o sucesso financeiro da respectiva loja que irá continuar a vender mais e mais animais. Este negócio tem de ser parado, os animais não são escravos, não são brinquedos, não são objectos de decoração e só boicotando a exploração animal nas lojas é que se conseguirá prejudicar os seus lucros ilegítimos, conseguidos pela escravatura de seres vivos indefesos.

Escreva para as lojas demonstrando a sua indignação pelo comércio de animais, sugira-lhes que parem a venda de animais de viveiros e se foquem no comércio de produtos alimentares, brinquedos, medicamentos, acessórios e livros. Explique-lhes que não precisam de fazer dinheiro à conta do sofrimento animal e que podem, inclusive, ajudar a arranjar lar para animais que nasceram fora de viveiros e longe de criadores inconscientes e cruéis.

Escreva para as autoridades locais, para políticos pedindo a correcta e atempada fiscalização destes espaços. A lei proíbe a comercialização de muitas espécies que são descaradamente vendidas em lojas aos olhos das autoridades que deixam passar em branco o delito. Se for esse o caso faça uma denúncia dessa loja ao Instituto de Conservação da Natureza e com sorte eles tomarão a atitude correcta.
Passe a mensagem a amigos e familiares. Contribua sensibilizando e educando as pessoas lembrando-as de que os animais têm o mesmo direito a uma vida em pleno e à liberdade como qualquer Ser Humano e que não são produtos para serem comercializados para proveito de ninguém.

1 comentários:

Blogger Aninha disse...

Esse blog é lindo... todos deveriam pensar assim, vocês estão de parabéns.

3:08 da manhã

 

Enviar um comentário

<< Ínicio

 
free web counter